Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

Vale de Anta - Domingo de Ramos

28
Mar10

Mais um ano em que se cumpriu a habitual bênção pascal do ramo.

 

De seguida os fiéis seguiram em procissão para o interior da igreja onde celebrou a Eucaristia dominical.

O Padre Augusto embora com saúde debilitada presidiu à cerimónia.

 

 

E como é tradição, para quem se esquece do ramo, há sempre à entrada do adro ramos de oliveira benzida.

 

 

Desde miúdo ouvia dizer que se devia guardar o ramo benzido durante o ano para afastar as trovoadas.

Quando trovejava era costume deitar ao "lume" pequenos pedaços do ramo que através do fumo e do cheiro produzido, que saía pela chaminé, ou que se mantinha também no interior da casa afastava para longe o tão temido trovão, ou então protegia a casa se ser atingida pelos raios!

Normalmente o Ramo de Páscoa é constituído além de outras  plantas que o povo juntava para o "enfeitar",  pelo loureiro, oliveira, alecrim, malva e cangorça que servia para o apertar.

1 comentário

Comentar post